Acerca de mim

A minha fotografia
Lisboa, Portugal
Uma eterna estudante...

quarta-feira, abril 25, 2007

Conceito de Sociedade em Rede

A sociedade em que vivemos actualmente surge após a Sociedade Industrial e a passagem de um modelo económico capitalista para um modelo económico neoliberal. É caracterizada por contínuos avanços científicos (nas áreas da bioengenharia, novos materiais e microelectrónica) e por uma tendência para a globalização económica e cultural (mercados financeiros laborando 24 horas por dia e de âmbito mundial, apogeu tecnológico e convergência digital de informação).

Vários atributos se misturam na caracterização da Sociedade em Rede… Há ainda quem lhe chame Sociedade de Informação e quem rebata esta expressão por Sociedade do Conhecimento, enfatizando a importância da elaboração de conhecimento funcional e colaborativo a partir da informação disponível. Outros apelidam a presente sociedade de Sociedade da Aprendizagem, fazendo uma alusão ao processo de formação contínua e ao longo da vida que se exige dos trabalhadores do século XXI; outros ainda dão-lhe o nome de Sociedade da Inteligência, potenciada através das redes de inteligência distribuída (de informação, de mercados, de empresas, de organizações, da sociedade civil,…).

(...)

A revolução tecnológica à qual associamos igualmente o aparecimento da World Wide Web (WWW), responsável em grande parte pelo que hoje chamamos de sociedade em rede, gera laços de interligação e interdependência nas mais diversas actividades humanas, do mundo do trabalho à economia, passando pela política e até pelos afectos. Esta rede, tem sido responsável por uma profunda alteração da organização social e levanta-nos muitas questões no que respeita àquele que será o seu ponto de chegada, pautando-se a sociedade actual por um processo contínuo de construção/reconstrução. Na opinião de Manuel Castells
[1] esta sociedade em vivemos “não é uma sociedade composta por cibernautas solitários e robôs em comunicação (…) nem sequer é a terra prometida das novas tecnologias que resolvem os problemas do mundo com a sua magia (…)”; “a sociedade em rede é uma estrutura social dominante do planeta, a que vai absorvendo a pouco e pouco as outras formas de ser e de existir. E as suas consequências, como no caso de outras sociedades que existiram historicamente, dependem do que as pessoas fazem, incluindo nós, nessa sociedade e com os instrumentos que essa sociedade oferece”.

A sociedade em rede desenvolveu-se a partir de um novo sistema tecnológico baseado nos desenvolvimentos da informática e dos sistemas de comunicação e informação em que as oportunidades oferecidas pelo surgimento da Internet desempenham um papel fundamental. Seria legítimo colocarmos a questão se foi o desenvolvimento tecnológico que determinou o surgimento desta nova sociedade ou a sociedade que determinou o desenvolvimento tecnológico.

Segundo Castells
[2], “não foi a tecnologia que determinou o nascimento e o desenvolvimento da sociedade em rede, mas sem este tipo de tecnologias aquela não teria existido”.
Admitindo que o sistema escolar se organiza em volta de uma terminada organização social, política e económica que é de interesse manter e/ou desenvolver, verificaremos de que forma a sociedade em rede estende as suas implicações para a organização escolar e os seus actores, especificamente, alunos e professores.
[1] In Cardoso e Outros (2005)
[2] In Cardoso e Outros (2005)

1 comentário:

Anónimo disse...

Muito agradecido pelo contributo que se encontra esplanado no blog.
Sem duvida nenhuma que é uma consequência dos tempos atuais e de mudança este tema.
No entanto os atributos da sociedade em rede que levam-nos para a descentralização, flexibilização, eficácia, eficiência e abertura à inovação só poderão realmente funcionar com a intervenção e interesse civico.
Abraços
António Leonardo